Saturday, April 17, 2021

PT -- The Saker -- Os planos dos Estados Unidos para a Ucrânia -- April 16, 2021

  


The Saker -- Os planos dos Estados Unidos para a Ucrânia

(LINHA ABERTA # 12) ACTUALIZAÇÃO

 

3729 Visualizações  April 16, 2021 35 Comments (todos em inglês)

Francamente, o discurso de Biden à nação americana (o primeiro da sua vida) foi, provavelmente, o discurso político mais lamechas que alguma vez ouvi.  E não estou a referir-me ao facto de Biden chamar a Putin "Clutin" ou confundir "deescalation" com "vaccination", estou a referir do conteúdo verdadeiro do seu discurso.  Resumindo: continuaremos a magoar-vos e a humilhar-vos constantemente, tratar-vos-emos como uma criança mal educada de 10 anos a precisar de uma boa palmada, mas queremos paz e um bom relacionamento.  É evidente que Biden não percebe nada dos conceitos russos.  Mas para "Biden" (o colectivo "Biden", não o vegetariano confuso) existe um plano.  Qual poderá ser?

 

Já expliquei qual é o plano dos EUA em relação à Ucrânia: encorajar os Ukronazis a atacar, sem envolver os EUA numa guerra convencional com a Rússia.


Como é que os EUA procederiam?  Um exemplo:


Primeiro anunciar com grande alarido que os EUA estão a enviar 2 (de acordo com algumas versões 5!) navios da Marinha Americana para o Mar Negro, a fim de "dissuadir" a Rússia, mostrar "apoio" aos Ukies e dar-lhes a sensação de que quando atacassem estariam sob a "cobertura" dos EUA.  Este plano não é diferente daquele que os EUA utilizaram  com Saakashvili em 08.08.08 ou daquele que os EUA accionaram durante a "Primavera de Praga".  Francamente, é um velho truque que o Ocidente tem usado inúmeras vezes ao longo da sua História.  E logo que os Ukies se sintam entusiasmados por estarem sob a protecção do tio Shmuel, retiram silenciosamente o seu plano de enviar quaisquer navios para o que é, de facto, um lago russo.

 

Os EUA estão a caminhar numa linha ténue - precisam motivar os Ukies para atacar, mas os Ukies estão aterrorizados, portanto, têm de lhes incutir a sensação de que "o mundo está convosco!", "vamos proteger-vos", "vamos lutar convosco" e depois, quando os acontecimentos parecem estar a chegar a um ponto crítico, abandonam os Ukies e correm para um lugar seguro.  É claro que o Ocidente unido apoiará os Ukronazis política e economicamente (apenas para manter a economia Ukie semi viva), mas, obviamente não a nível militar, pois iriam criar o risco de uma guerra devastadora que os EUA e a NATO, ou perderiam, ou decidiriam ir para um conflito nuclear, o que seria simplesmente suicida.

 

Há um coro de opiniões profundamente desnorteadas, tanto na Rússia como no Ocidente, que, neste momento, declara que Biden "piscou o olho", que a Rússia ganhou e que agora irá surgir a paz.  Este é um ponto de vista muito ingénuo que provém, sobretudo, de não compreender a natureza da guerra moderna e das operações psicológicas.

 

Mais uma vez, o que alguns podem considerar como sendo uma política de zig-zag, de “Biden” em relação à Rússia e pensam erradamente que, uma vez que "Biden" não prometeu fogo e enxofre à Rússia, isso significa que "Biden" se submeteu.  Trata-se de um equívoco extremamente perigoso e estou confiante de que as autoridades russas que tomam decisões, percebam este estratagema (mesmo que não o mencionem, pelo menos, aqueles que estão até agora em funções)

 

Putin ainda não anunciou que contra-medidas (prefiro essa noção à ideia de contra-sanções, que são simétricas) a Rússia irá tomar a seguir (principalmente contra os EUA, Reino Unido e Polónia).  Não faço ideia do que o Kremlin poderá decidir, mas observo níveis muito elevados de indignação e de determinação nos meios de comunicação russos (tanto nos meios de comunicação tradicionais como na Runet).  A sociedade russa está claramente farta e, mais uma vez, Putin, enfrenta um nível crescente de críticas por ser demasiado brando e indeciso.  Anseio e espero que a resposta da Rússia desta vez seja muito menos branda (e, portanto, ambígua) do que no passado.   Em breve o saberemos.

The Saker

 

ACTUALIZAÇÃO: Precisamente quando estava a publicar esta actualização, vi o artigo do Sputnik sobre as contra-medidas russas.  Francamente, não estou nada impressionado e acredito que a maioria dos russos irá sentir o mesmo.  Claro que não sabemos o que se passa nos bastidores e os russos não têm qualquer obrigação de divulgar o que mais possam estar a fazer.  No entanto, acredito que medidas como o encerramento do estreito de Kerch é uma abordagem muito melhor.  Vamos esperar alguns dias antes de emitir um juízo final sobre a qualidade das contra-medidas russas.



Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos

Email: luisavasconcellos2012@gmail.com

Website: NO WAR NO NATO



Kriegsgefangenenlager in Amerika


Von Larry Romanoff, 02. Juni 2020

Übersetzung: K.R.

*

Hinweis an die Leser: In Anbetracht der immensen Bedeutung dieses Themas leiten Sie diesen Artikel bitte über Ihren E-Mail-Verteiler weiter und posten Sie ihn in Ihren Blogs, Internetforen usw., mit der Bitte, dass jeder, der irgendwelche Details oder Familiengeschichten kennt, die Licht auf diese Ereignisse werfen könnten, diese bitte direkt an den Autor unter 2186604556@qq.com weiterleitet.


DEUTSCH ENGLISH ESPAÑOL ITALIANO NEDERLANDS PORTUGUÊS SVENSKA

Diese Geschichte hat alle Voraussetzungen, um sich für eine Verschwörungstheorie zu qualifizieren und macht vielleicht keinen Sinn für Sie ohne einige Hintergrundinformationen über den Zusammenhang.

Bevor die USA in den Ersten Weltkrieg eintraten, wurde eine enorme, jahrelange antideutsche Propagandakampagne von der Creel-Kommission entfesselt, die von Walter Lippman und Edward Bernays geleitet wurde, letzterer war ein Neffe von Sigmund Freud. (1) (2) Die öffentliche Literatur griff alles Deutsche in Amerika an, auch Schulen und Kirchen. In vielen Schulen wurde den "reinen Amerikanern" verboten, die deutsche Sprache zu unterrichten, und die Verwalter wurden aufgefordert, "alle illoyalen Lehrer", also alle Deutschen, zu entlassen. Die Namen unzähliger Städte wurden geändert, um ihren deutschen Ursprung zu eliminieren: Berlin, Iowa wurde zu Lincoln, Iowa. Deutsche Lebensmittel und Namen von Gerichten wurden aus den Restaurants verbannt; Sauerkraut wurde zu "Freiheitskraut", Dackel wurden zu "Freiheitshunden" und Deutsche Schäferhunde zu "Elsässern".

LESEN MEHR

Larry Romanoff,

contributing author

to Cynthia McKinney's new COVID-19 anthology

'When China Sneezes'

When China Sneezes: From the Coronavirus Lockdown to the Global Politico-Economic Crisis

APPEAL


APPEAL TO THE LEADERS OF THE NINE NUCLEAR WEAPON STATES

(China, France, India, Israel, North Korea, Pakistan, Russia, the United Kingdom and the United States)

中文 DEUTSCH ENGLISH FRANÇAIS ITALIAN PORTUGUESE RUSSIAN SPANISH


manlio +maria

上海的月亮

World Intellectual Property Day (or Happy Birthday WIPO) - Spruson ...


LARRY ROMANOFF on CORONAVIRUS

Read more at Moon of Shanghai

V.P. 2007

EN video comitato

20 questions to Putin


President of Russia Vladimir Putin:

Address to the Nation

Address to the Nation.

Erdogan


Imagem

00
PT -- VLADIMIR PUTIN na Sessão plenária do Fórum Económico Oriental

Excertos da transcrição da sessão plenária do Fórum Económico Oriental

irmãos de armas


Legendado em PT. Clicar em CC, escolher PT.

índice


“Copyright Zambon Editore”

PORTUGUÊS

GUERRA NUCLEAR: O DIA ANTERIOR

De Hiroshima até hoje: Quem e como nos conduzem à catástrofe

ÍNDICE

TRIBUTE TO A PRESIDENT


NA PRMEIRA PESSOA

Um auto retrato surpreendentemente sincero do Presidente da Rússia, Vladimir Putin

CONTEÚDO

Prefácio

Personagens Principais em 'Na Primeira Pessoa'

Parte Um: O Filho

Parte Dois: O Estudante

Parte Três: O Estudante Universitário

Parte Quatro: O Jovem especialista

Parte Cinco: O Espia

Parte Seis: O Democrata

Parte Sete: O Burocrata

Parte Oito: O Homem de Família

Parte Nove: O Político

Apêndice: A Rússia na Viragem do Milénio


The Putin interviews


The Putin Interviews
by Oliver Stone (
FULL VIDEOS) EN/RU/SP/FR/IT/CH


http://tributetoapresident.blogspot.com/2018/07/the-putin-interviews-by-oliver-stone.html




Followers